Padrão nipo-brasileiro de TV digital chega à África - Ministério das Comunicações
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial | Sala de Imprensa | Notícias | Padrão nipo-brasileiro de TV digital chega à África
Início do conteúdo da página

Padrão nipo-brasileiro de TV digital chega à África

Criado em Quinta, 07 Março 2013 17:09 | Última atualização em Quinta, 07 Março 2013 17:39

Botswana é o décimo segundo país a escolher o sistema nipo-brasileiro


Brasília, 07/03/2012 – O governo de Botswana acaba de anunciar a adoção do sistema nipo-brasileiro de TV Digital. A decisão foi tomada após um longo processo que envolveu testes comparativos entre o ISDB-T e o DVB-T2 - uma evolução do padrão já adotado na Europa. Botswana é o décimo segundo país a escolher o ISDB-T, sendo o primeiro no continente africano.

noticia-20130307-botswanaComitiva Botswana (Foto: Herivelto Batista)

Segundo o secretário de Telecomunicações do MiniCom, Maximiliano Martinhão, durante a visita ao Brasil realizada em outubro de 2012, os representantes do país já haviam demonstrado bastante interesse na possibilidade de promover a inclusão digital por meio da televisão. “Botswana busca o mesmo modelo de desenvolvimento que buscamos aqui no Brasil. Somos igualmente um país em desenvolvimento. Então, houve uma identificação muito grande, especialmente em relação à interatividade”, afirma. O país africano também levou em consideração as oportunidades de negócios e a possibilidade de envolver empresas locais na cadeia de valor da TV.

“Nós acompanhamos o empenho do governo da Botswana durante os testes, que foram muito detalhados e avaliaram a transmissão e a recepção, assim como a viabilidade econômica de cada modelo. Ficamos muito satisfeitos em saber que nosso sistema foi considerado superior por uma equipe tão exigente”, acrescenta o assessor da Secretaria de Telecomunicações do MiniCom, Flávio Lenz.

Agora que a escolha pelo ISDB-T foi concretizada, o Brasil deverá firmar acordos de cooperação com a Botswana que, a exemplo do que aconteceu com os demais países que adotaram o padrão, deverão incluir treinamentos e capacitações tanto no campo industrial quanto de pesquisa e inovação.

Outros países africanos também têm demonstrado interesse em adotar o sistema nipo-brasileiro. No dia 15 de março, Lenz participará, em Maputo, de um seminário sobre o ISDB-T promovido pelo governo de Moçambique.

Fim do conteúdo da página